Como as mulheres podem contribuir com a produtividade econômica global?

No âmbito da discussão sobre gênero, o Fundo Monetário Internacional (FMI) publicou um estudo, em março de 2016, no qual se analisa a ligação entre diversidade de gênero em cargos corporativos e o rendimento de duas milhões de companhias europeias. O relatório deixa claro que o debate sobre diversidade é importante. Apesar de analisar poucas variáveis, apresenta conclusões que nos fazem refletir sobre o empoderamento das mulheres no setor corporativo e quais são os benefícios relacionados.

O “efeito Trump” na taxa de juros: como irá reagir o Copom?

A atual ascensão de lideranças políticas populistas conservadoras pode significar uma alteração do paradigma monetário, com aumento da taxa de juros. A recente decisão do Copom traz um discurso otimista em relação à conjuntura internacional, que parece não mais se compatibilizar com as recorrentes declarações de algumas autoridades estrangeiras. Resta aguardar as próximas decisões do Copom para verificar os impactos da concretização dessa mudança de paradigma internacional na política monetária nacional.

Moedas virtuais e blockchain: Desafios tecnológicos para a indústria bancária e da regulação pelo direito

Realizamos na manhã do dia 07 de novembro o primeiro evento do Grupo Moeda e Finanças, no auditório arcadas da Faculdade de Direito da USP. Com o nome de “Moedas virtuais e blockchain: desafios tecnológicos para a indústria bancária e da regulação pelo direito”, o evento contou com a participação do Andrea Cattaneo, Head do BNP Paribas Securities Services no Brasil, e da Profª. Camila Villard Duran, da Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo (USP) e fundadora do Grupo Moeda e Finanças.

A moeda chinesa, o Yuan, é uma moeda internacional?

O governo chinês têm mais de 30 contratos de swap, celebrados com diferentes autoridades monetárias em países desenvolvidos e em desenvolvimento. O intuito é promover liquidez em Yuan e incentivar seu uso internacionalmente. Se essas ações políticas serão efetivas em competir com o dólar em transações internacionais, ainda se está por ver. No entanto, parece que o mundo está se tornando cada vez mais multipolar, com certo grau de competição entre diferentes moedas.